Tulipas

Inicialmente importada da Turquia para a Alemanha, a tulipa havia sido trazida para os Países Baixos (Holanda), em 1593, pelo naturalista francês De Lécluse, cujo nome em latim era Clusius. Ele tinha começado em 1587, num terreno atrás da universidade de Leiden, um jardim botânico destinado a iniciar os estudantes de medicina no conhecimento das plantas medicinais. Clusius trouxe a tulipa a título de curiosidade exótica. Pouco depois começou a aparecer em alguns jardins.

Uma moda difundida em Paris no começo do reinado de Luís XIII, promoveu a tulipa à categoria de flor elegante. Simultaneamente surgiu nos jardins holandeses um vírus que veio afetar as pétalas da tulipa, causando diversas alterações. Os horticultores souberam tirar proveito dessa doença para produzir variedades curiosas.

A moda francesa espalhava-se por toda a Europa e os Países Baixos se tornaram o principal fornecedor de tulipas. Criam-se tulipas de todas as cores e cada criador dava um nome à tulipa por ele desenvolvida. As batatas, ou bulbos, da tulipa são vendidas a preços altos, transformando o cultivo da tulipa numa febre, numa especulação. Chamada ‘tulipomania’, atingindo seu auge no inverno de 1636 e terminando numa catástrofe alguns meses depois. O contágio atinge a população inteira e os raros cidadãos que conservam o sangue-frio tratam os outros de ‘capuchinhos’, em alusão ao capuz dos loucos. Compra-se uma casa por três batatas de tulipa; algumas batatas oscilam de quatro mil a cinco mil e quinhentos florins! A mesma batata é vendida e revendida dez vezes por dia. Um florista fixa à sua cama uma campainha de alarme, cujo cordão cerca o precioso canteiro de tulipas!

Muitas pessoas tinham comprado tulipas a crédito e não conseguiram saldar suas dívidas: a inquietação espalha-se entre os especuladores. Da noite para o dia, a cotação das batatas mais caras cai de cinco mil para cinquenta florins! Acabou a tulipomania, mas a tulipa nunca mais deixou a Holanda.

Hoje, em nenhum outro país do mundo, são cultivados tantos bulbos como na Holanda onde a tulipa encontrou um clima favorável e grande perícia dos seus cultivadores.

A principal região de cultivo se encontra entre as cidades de Haarlem e Leiden. Nos meses de abril e maio, as tulipas e outras flores de primavera estão em pleno esplendor. Para o cultivador é este o momento para ‘decapitar’ as flores para que o bulbo possa seguir produzindo reservas alimentícias suficientes. Depois de três meses os bulbos são arrancados, secados, limpados e classificados para a comercialização.

A colônia holandesa no município de Holambra, perto Campinas, domina a técnica de cultivar tulipas no Brasil.


Fonte:
Moinhos de Vento Tulipas Tamancos. Livreto publicado pela Associação Cultural Brasil-Holanda. Coleção histórica nº 1. Redação: Johan E. Scheffer, 2002.

Bibliografia:
Paul Zumthor: A Holanda no tempo de Rembrandt (Companhia das Letras); Max Dendermonde e Herman Scholten: Los zuecos de Holanda; Holland Herald: Publicação trimestral do Ministério do Exterior da Holanda.

Patrocinadores da publicação:
Batávia S/A Carambeí, Cooperativa Agropecuária Castrolanda e Prefeitura Municipal de Arapoti.