Olimpíada Intercolonial das Comunidades Holandesas no Brasil – Zeskamp

Por: Samara H. de Lima.

O Zeskamp é um evento tradicional que reúne grande número de imigrantes e descendentes da comunidade holandesa no Brasil.

O Zeskamp – Olimpíada Intercolonial das Comunidades Holandesas, é um evento esportivo anual de interação entre as seis colônias de imigração holandesa no Brasil (Holambra I e Holambra II em São Paulo, Castrolanda, Carambeí e Arapoti no Paraná e Não-me-Toque no Rio Grande do Sul.). Seu nome significa “Campo de Seis” ou “Seis Campos” em função de serem seis provas disputadas e uma alusão as seis colônias imigrantes.

Cada ano uma colônia cedia o evento, sendo promovido no mês de julho. O principal objetivo dos jogos é a preservação da cultura de origem, reforçando a tradição holandesa e a confraternização entre os membros das colônias participantes, uma forma de desenvolver laços entre imigrantes e descendentes e elaborar um símbolo de identificação.

A ideia de realização do Zeskamp teve início em Holambra I, em 1973 durante as festividades dos 25 anos da colônia, uma competição entre bairros para a comunidade holandesa local, nos anos seguintes as demais colônias foram convidadas a participar, sendo oficialmente promovido em 1976 a primeira edição do Zeskamp – Brasil.

Segundo relatos de participantes, no início eram apenas dois dias de comemoração, não sendo realizado ainda os jogos esportivos. A programação consistia, no início, em uma recepção na sexta feira para os participantes e no sábado a grande gincana – dividida em seis provas de resistência e lógica, podendo participar somente adultos. O evento encerrava no domingo, com um culto aos presentes.

Hoje a configuração da competição se alterou, sendo composto por 4 dias – os três primeiros com competições esportivas, onde os mais tradicionais são vôlei, futebol e futsal, em anos anteriores também foram disputados outros jogos como atletismo, tênis, basquete, xadrez, bocha etc. ; no sábado a gincana (Zeskamp) – o evento também incluiu diversas faixas etárias a partir de 15 anos, para ampliar a interação entre os jovens. Em 2002 foi promovido o primeiro “mini-zeskamp” voltado ao público infantil.

Cada colônia definiu a sua cor para o evento: Arapoti (Branco ou preto), Carambeí (Vermelho), Castrolanda (Azul), Holambra I (Laranja), Campos de Holambra – Holambra II (Amarelo) e Não me Toque (Verde), as cores são permanentes e representativas em toda edição.

Um atrativo da Gincana é o Coringa, cada colônia desenvolve um coringa, pode ser qualquer objeto ou forma que seja original e simbólico, sua função em jogo é dobrar a pontuação em uma das seis provas. Antes da gincana cada colônia explana sobre o seu coringa, sendo este julgado por uma comissão – usado como critério de desempate.

Por ser um evento entre as colônias imigrantes, uma característica marcante do encontro é a restrição de participação, sendo aceitos somente competidores de nacionalidade holandesa e seus descendentes, ou pessoas que possuam algum vínculo com a comunidade imigrante (como parentes próximos, casados, viúvos, enteados ou dependentes, entre outros – estando sob julgamento da Comissão Organizadora).

As gincanas Zeskamp são bem populares em território holandês, disputadas entre jovens em eventos escolares e de empresas, festas da comunidade, ou em clubes das cidades.

Fatos históricos do Zeskamp no Brasil:

No ano de 1978 não foram realizados os jogos intercoloniais em função da febre aftosa.
Em 1985 o evento não foi realizado em função da febre suína.
Em 2011, em função do Centenário da Imigração Holandesa, houve troca com Não-me-Toque.
No ano de 2014 o Zeskamp não foi sediado em função da Copa do Mundo no Brasil.
Em 2020 não será possível se encontrar em Arapoti, devido à pandemia Covid-19.

Referência:
LIMA, Samara. Olimpíada Intercolonial das Comunidades Holandesas – Zeskamp. Exposição temporária Centro Cultural Castrolanda, Castro PR. 2019

Fonte das fotos abaixo: Acervo Centro Cultural Castrolanda (CCC).

  • 1º Zeskamp em Holambra I, 1976

  • Zeskamp em Holambra II, 1977

  • Zeskamp em Castrolanda, 1979

  • Abertura do Zeskamp em Não-Me-Toque, 1980

  • Zeskamp em Holambra I, 1983

  • Zeskamp em Holambra I, 1983

  • Zeskamp em Carambeí, 1988

  • Zeskamp em Arapoti, 1989

  • Zeskamp em Holambra I, 1996

  • Olimpíada Intercolonial em Castrolanda, 1998

  • Zeskamp em Carambeí, 2006

  • Zeskamp em Campos de Holambra, 2009

  • Zeskamp em Arapoti, 2013

  • Mini-zeskamp em Castrolanda, 2017

  • Zeskamp em Não-Me-Toque, 2018

Fonte: Dados do Centro Cultural Castrolanda