Tamancos

O tamanco de madeira era usado na Europa desde o fim da Idade Média. Mesmo com a chegada das botas de borracha, o tamanco mantém a sua popularidade: estima-se que mais de um milhão de holandeses usam regularmente o tamanco. Alguns séculos atrás havia milhares de artesãos que confeccionavam tamancos. A maior parte dos tamancos não era fabricada por especialistas, mas pelo próprio camponês, que nos meses de pouca atividade fazia seus próprios tamancos. Os tamancos eram feitos com muito capricho e carinho, pois, além de ser um calçado barato, eram também uma forma de apresentação em ocasiões especiais. Havia, por exemplo, tamancos decorados com pinturas para o domingo, tamancos especiais para ir à igreja, para casamento, para crianças… Cada tamanco ‘falava’, para assim dizer, em que região da Holanda tinha sido confeccionado.

O uso do tamanco era particularmente difundido nas regiões úmidas, nas fazendas e nos navios de pesca.

A partir do ano de 1870, a fabricação de tamancos torna-se uma profissão, não apenas pelo rápido aumento da população causando uma maior demanda de tamancos, mas também pelas grandes mudanças ocorridas no meio agrário. Terras, antes inutilizáveis, tornaram-se férteis graças ao adubo, aumentando assim a produtividade. Formaram-se cooperativas com fábricas de manteiga e queijo. Sobrava cada vez menos tempo para os ‘antigos’ trabalhos de casa, entre eles a confecção de tamancos. O estranho é que neste mundo que se modernizava através da industrialização, o antigo tamanco se tornou um artigo de comércio muito importante. Cada província tinha dezenas de lugares onde se fabricava tamancos, porque o tamanco continuava sendo um calçado muito popular, não apenas no campo, mas também nas novas indústrias onde ninguém queria expor seus sapatos aos pisos molhados, sujos ou quentes.

Para a fabricação de tamancos, à mão ou com máquina, é usada a madeira do álamo. Uma árvore de tamanho médio produz um metro e meio de madeira, obtendo-se uns setenta e cinco pares de tamancos. Os tamancos são colocados na sombra e no vento para secar e depois podem ser pintados e decorados. Existem na Holanda trinta fábricas de tamancos que produzem anualmente 800.000 tamancos de trabalho e 4 milhões de tamancos para vender aos turistas como suvenir.


Fonte:
Moinhos de Vento Tulipas Tamancos. Livreto publicado pela Associação Cultural Brasil-Holanda. Coleção histórica nº 1. Redação: Johan E. Scheffer, 2002.

Bibliografia:
Paul Zumthor: A Holanda no tempo de Rembrandt (Companhia das Letras); Max Dendermonde e Herman Scholten: Los zuecos de Holanda; Holland Herald: Publicação trimestral do Ministério do Exterior da Holanda.

Patrocinadores da publicação:
Batávia S/A Carambeí, Cooperativa Agropecuária Castrolanda e Prefeitura Municipal de Arapoti.

Klompen – tamancos de madeira – calçados essenciais na dança folclórica holandesa.
Fonte: Janet Bosch