Relato de intercâmbio – Gabriella Barkema

Semestre de intercâmbio de Ensino Médio na Holanda.

Por: Gabriella Barkema
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
Relato de Gabriella sobre o dia a dia, a adaptação e o impacto dessa experiência cultural em sua vida.

Em 2012 eu fiz intercâmbio através da agência Intercultural, que tinha contato direto com a Travel Active, uma agência holandesa especializada em intercâmbio cultural.

Morei em Beek e fiz um semestre do primeiro ano do ensino médio no ‘Graaf Huyn College’ situada em Geleen, Limburg. Tenho cidadania holandesa, lembro que fui até o ‘gemeentehuis’ e declarei que estava lá, assim como tive que avisar quando fui embora.

Eu aproveitei muito e me dei muito bem com a minha família de lá, tanto que já fui visitar e a família fez o mesmo. Considero eles como “meus pais da Holanda”. Eles estavam bem dispostos para que eu aprendesse holandês, fizesse amizades e conhecesse lugares. Tanto que quando cheguei, eles já fizeram um calendário com atividades que eu gostaria de fazer, sendo assim, todo final de semana eu estava conhecendo algum lugar novo, e tendo experiências culturais. Também participei do time de futebol da cidade, do grupo de carnaval e viajei com a escola para a Turquia entre outros. Porém, a mesma disposição tem que vir de quem está indo fazer.

Indicaria a Holanda com certeza. Gostei demais porque ao morar em uma cidade menor, não tive quase nenhum contato com brasileiros, então vivenciei a experiência 100% cultural, foi bem especial o meu intercâmbio!

E voltando ao Brasil validei as matérias que tinha feito, fiz uma prova padrão para intercambistas e continuei o ensino médio no positivo em Curitiba.

Acho que a melhor dica que eu posso dar é, viva como um cidadão local. Eu tinha que ir de bicicleta todo dia para a aula (faça sol, chuva ou neve). Eu ia na feira e no mercado para eles, me relacionei bem com os familiares, ia acampar, esse tipo de coisa. Aproveitar tudo que pode, aí sim o intercâmbio traz muitas experiências!

Hoje, posso dizer que o meu intercâmbio na Holanda me moldou como pessoa, meu modo de viver e de ver as coisas. Acredito que aprendi o valor dos relacionamentos, da cultura, e da busca por viver o novo.