Além da cultura, holandeses trazem herança sustentável ao Paraná

Imigrantes e descendentes fixados na cidade de Castro mantêm tradições que vão desde as refeições e decorações da casa até a geração de energia limpa

Era 1972 quando Jan Haasjes fez as malas e deixou a cidade de Vollenhove, na Holanda, com a expectativa de encontrar novas oportunidades no Brasil. Por ser um país em desenvolvimento, com mais espaço para poder crescer, ele decidiu investir no campo, fixando-se em Castro, no Paraná. Hoje, com esposa e filhos brasileiros, ele participa da Associação Cultural Brasil-Holanda, ainda come os tradicionais arenques e participa das festas culturais da comunidade. Mas a principal característica que ele traz da sua terra natal são as inovações no campo e a preocupação com o meio ambiente.

Haasjes trabalha com suinocultura, agricultura e produção de substrato para cogumelos champignon. Em 2013, ele passou a utilizar a usina de biogás construída na Chácara Marujo em Castro, que usa resíduos da suinocultura e do campo para gerar energia, com foco na sustentabilidade. Haasjes foi pioneiro na produção de biogás com biodigestores CSTR (modelo Europeu) no Paraná e sua usina serviu de inspiração para o investimento de R$ 13,8 milhões da Unium – marca institucional das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal e que também gerencia a Alegra Foods, a usina vai usar todo o resíduo sólido da indústria de alimentos de origem suína e da logística reversa das indústrias de leite, para abastecer aproximadamente 5 mil casas todos os meses, incluindo a comunidade onde atua a Associação Cultural Brasil-Holanda.

“Cada cultura, seja brasileira, holandesa ou qualquer outra, tem sempre alguns pontos interessantes e exemplares. Para mim, é mais uma questão de reunir o que cada cultura tem de bom. Implantamos alguns costumes de lá aqui e sempre voltamos para a Holanda em busca de tecnologias. Como nós somos de lá, temos facilidade para acessar as inovações e trazê-las para o Brasil. Na Europa, as discussões sobre o meio ambiente estão há mais tempo em evidência. E agora estamos trazendo também esses costumes para cá”, relata Haasjes.

Sobre as usinas de biogás

A usina de biogás construída na Chácara Marujo em Castro PR gera biogás utilizado para substituir o gás de cozinha consumido na Chácara, biometano utilizado para abastecer veículos e empilhadeiras, energia elétrica consumida na Chácara e também biofertilizante que é aplicado nas áreas agricultáveis.
A usina de biogás da Unium foi construída na cidade de Castro PR ao lado do frigorífico da Alegra em um terreno com 10 mil m². O início da geração está previsto para março 2020, com capacidade de produção de 550 metros cúbicos por hora de biogás. A energia será vendida para terceiros e o dióxido de carbono extraído no upgrade de biogás para biometano será utilizado no processo de insensibilização de suínos do frigorífico da Alegra Foods.

Próximos Passos

A comunidade onde atua a Associação Cultural Brasil-Holanda está elaborando projeto para construção de um gasoduto de biogás que irá proporcionar as propriedades rurais da região oportunidade para agregar valor monetizando os resíduos orgânicos gerados, contribuir para preservação do meio ambiente e desenvolvimento social da região.

Por: Central Press.