Com tema da união, evento mostra como folclore mantém a ligação entre pessoas e culturas

Grupos folclóricos mostram, por meio da dança e do canto, suas tradições em apresentações virtuais

O tradicional Festival Folclórico de Etnias do Paraná foi adiado novamente devido às orientações de isolamento social. Organizadas pela Associação Inter-Étnica do Paraná, as apresentações que reuniam os grupos folclóricos do estado devem ficar para 2022. Neste ano, o evento será mais uma vez on-line, com o tema “O que nos une?”, para contar a história de cada um dos grupos que cultivam há anos as tradições por meio de sua dança.

Os vídeos, produzidos pelos próprios integrantes, trazem as histórias dos antepassados, dos primeiros imigrantes que se estabeleceram no Paraná às tradições de cada etnia preservadas até os dias de hoje. “Além de divulgar diversas culturas, nós queremos mostrar que o folclore não é apenas a dança, mas também as amizades que levamos para o resto de nossas vidas”, comenta o presidente da Associação, Rogério Flores.

São 16 grupos folclóricos que, por meio da dança e do canto, mostram um pouco mais da sua história. Entre eles, o Grupo Folclórico Holandês de Castrolanda.“A trajetória de 68 anos do grupo, desde 1953, será representada com fotos, entrevistas e danças. Além disso, teremos a participação especial do Boerenkoor (coral dos fazendeiros) e também do Grupo Folclórico Infantil da Escola Evangélica da Comunidade de Castrolanda”, conta a coordenadora do grupo e integrante da Associação Cultural Brasil-Holanda (ACBH), Margje Rabbers.

As apresentações estão sendo veiculadas no canal do YouTube da Associação e seguem até dia 30 de agosto. O Grupo Folclórico Holandês de Castrolanda irá apresentar sua trajetória no dia 27 de agosto, sexta-feira, às 21 horas.

SERVIÇO
O que nos une?
Data: 16 a 30 de agosto de 2021
Horário: 21h
Mais informações:
Instagram: Aintepar
Youtube: Aintepar

Por: Central Press.

Voltar para a página Notícias

Cantores do “Boerenkoor” se unem ao redor dos instrumentos
Fonte: M. v. d.Vinne.

Jovens animam festas e festivais folclóricos com suas danças tradicionais em tamancos.
Fonte: M. v. d. Vinne.